BDM

BDM Digital a criptomoeda que mais cresce no mundo

Foi bem no início da pandemia que o Bônus Dourado Mercantil (BDM) Digital inaugurou, com uma moeda criptografada e segura e com a tecnologia blockchain própria, sem burocracia e com poder de compra e venda instantâneo. Audaciosos, os empresários envolvidos disseram que aguardariam “algumas semanas” para ver o resultado. No entanto, o sucesso foi tamanho que a moeda se expandiu em Mato Grosso do Sul, São Paulo, entre outras capitais brasileiras, bem como países da Europa e Estados Unidos.

“O empresário, comerciante e o consumidor baixa o aplicativo e, tendo as suas moedas, pode ir ao mercado, ao cinema, farmácia, colocar combustível, fazer tudo com nossas empresas parceiras e até pagar água, luz e boletos. Temos inúmeros estabelecimentos credenciados e a pessoa pode ainda vender a moeda, já que tem valorização. E se quiser o dinheiro em espécie também é possível”, afirmou o presidente do BDM Digital, Urandir Fernandes de Oliveira.

Segundo ele, é no próprio aplicativo ou site que o cliente pode fazer solicitações e ligar para a central de atendimento. “O BDM é mais uma alternativa, que não concorre com a moeda nacional e nem os bancos tradicionais, pelo contrário, pois acaba ajudando o próprio sistema governamental na distribuição de renda social não só para a classe empresarial, mas principalmente para aqueles que não tiveram oportunidade de obter estabilidade financeira. A própria valorização da moeda ajuda a multiplicar seus bens. É interessante pelas vantagens, porque tem descontos em compras, facilidades nas operações e oferece independência e liberdade de um banco sem burocracia, sem consulta ao Serasa e SPC e com total segurança”, disse.

Diariamente, mesmo em meio ao momento de retração, o BDM Digital aumenta o número de clientes. “Nós sabíamos do risco, mas, fomos realmente audaciosos e houve a inauguração no dia 19 de março. Tudo veio a calhar, porque a pandemia deixou todo mundo em casa e a compra digital aumentou muito. E o aplicativo facilita este processo. A cada três dias, nós também atualizamos os estabelecimentos credenciados e fazemos a divulgação deles, sem custo, o que está fazendo muitas empresas nos procurarem”, ressaltou Oliveira.

Entenda a história da BDM Digital

Para falar da empresa, precisamos antes voltar ao ano de 1998, quando uma base de pesquisa foi montada em uma fazenda no município de Corguinho/MS, com a intenção de pesquisadores praticarem o turismo científico. Em pouco tempo, o local começou a receber pessoas do mundo inteiro e, consequentemente, não havia em circulação um único dinheiro.

“Nós montamos a base da pesquisa, com toda a infraestrutura laboratorial com Observatório Astronômico e o CTZ – Centro Tecnológico Zigurats para o processamento de dados. Iniciamos a construção de uma cidade com milhares de associados brasileiros e estrangeiros vindo de diversos países. Assim houve a necessidade de uma moeda interna para facilitar não só a hospedagem, mas, também a economia local”, relembrou o presidente.

Ao constatar que a economia local estava fomentando não só em Corguinho, Rochedo, como em Terenos e até em Campo Grande, a empresa de pesquisa montou uma associação para divulgar pesquisas em arqueologia, medicina, antropologia e todos os ramos da ciência. Atualmente, são cerca de 700 mil associados e 8 empresas nos mais diversos ramos, como cosméticos, construção civil, alimentos e outros.

Em seguida, passaram a estudar sobre as criptomoedas. “Não queríamos nada parecido com pirâmide, em que a pessoa não tinha para quem cobrar caso tivesse algum problema. Então fizemos o caminho inverso, com uma moeda digital criptografada que, ao invés de se basear na especulação financeira, temos fazendas, casas, apartamentos, três jazidas, reserva em dinheiro e o principal: um escritório, com sede, CNPJ e pessoas” e pagamos impostos sobre as moedas vendidas, disse.

Do físico para o digital, o BDM completa 15 anos e é a revolução financeira e tecnológica que veio para romper os paradigmas econômicos e sociais com a intenção de dar mais dignidade e liberdade econômica para todos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *